terça-feira, 18 de novembro de 2008

Doce

Não tem coisa mais doce que o sorriso de uma criança. Ainda mais se essa criança for a sua paixão.

Se esse sorriso vier na sua direção cambaleando em um ardarzinho de bêbado (ou da múmia Imhotep, como diria o meu cunhado), aí você vai estar completamente perdido mesmo. Fisgado, de quatro, head over heals.

Você vai esquecer da hora, vai dar risada de tudo, vai achar lindas as manhas quando ela cair para trás fazendo charme, vai se derreter com os olhares marotos de quem aprontou alguma, vai ficar horas conversando tranqüilamente com a pequena, emitindo sons que você não faz a menor idéia do que significam e mesmo assim vai entender perfeitamente tudo, o tempo todo.

Você vai curtir junto cada descoberta, cada nova brincadeira. Vai morrer de rir quando ela apagar a luz e chegar pertinho do seu rosto para fazer graça, e vai continuar achando isso a coisa mais linda e engraçada mesmo que ela se repita por (sei lá...) trinta ou quarenta vezes.

Você vai esquecer de tudo, das suas nóias, das suas coisas, vai esquecer que é segunda-feira e vai voltar rindo que nem um idiota para a sua casa depois da meia noite, querendo que todo dia seja segunda-feira.

Você vai dizer tchau sem querer dizer, vai olhar fundo naqueles olhinhos que não querem que você vá embora e pensar que devia passar muito mais tempo com eles, antes que eles cresçam e mudem.


Eles crescem tão rápido...

Um comentário:

Menininha bossa-nova disse...

Imhotep, hahahaha, tadica...