quarta-feira, 1 de abril de 2009

Melecas Coloridas

- Alguém topa um joelho de porco?

- Hummm, não Ju, muito forte. / Ai, não, hoje não. Talvez no almoço. / Não gosto de joelho de porco.

Nada, três marmanjos na mesa e nenhum deles encarou o meu joelho de porco. Aparentemente as pessoas acham muito forte joelho de porco para se comer no jantar, depois das dez. Uma bisteca, uma costelinha de meio metro ou um lombo, tudo bem, mas o joelho, ah, o joelho não. Muito forte essa parte específica do porco. Dã, vai entender.

OK, como eu sou uma draga mas não sou louca, desisti da idéia de comer o tal joelho sozinha e parti para a segunda opção. Por que não pedimos uma sugestão para o garçom? Falou o meu amigo tão indeciso quanto eu.

- Essa prato “colorido” ser muito bom. Vir com peixe Hering, carne de onça, geléia da porco e algumas acompanhamentos.

Na verdade ele não falou com esse sotaque todo, só estou dramatizando para que fique claro que estávamos em um restaurante típico alemão.

Fato é que a gente topou a sugestão. Ah, um peixinho, um pouco de carne de onça (que na verdade é um quibe cru sem o trigo, ou seja, carne crua de boi), a tal da geléia de porco que a gente ficou curioso para experimentar e ainda alguns acompanhamentos X. Eu não tenho frescura para comer, meu amigo também não. Que venha o colorido.

Há...Há. Claro que a gente sifu.

Muito cuidado meus amigos. Nunca confiem em um garçom de macacão verde e suspensório que erra os gêneros e as conjugações verbais. Isso poder ser muita, muita, traumatizante.

Quando o nosso prato colorido chegou, a gente não sabia nem por onde começar a comer. Na verdade a gente quase perdeu a fome mesmo, o quase só não deixou porque era fome prá caramba. Um punhado de carne moída vermelho-fosforescente de tão crua, uma coisa branca que parecia chantily com maçãs em cima e um rabo de peixe sinistro saindo para fora, um pudinzinho congelado com pedaços de coisas não identificadas dentro, fatias de uma lingüiça estranha e escura feita de vísceras de porco, meia salsicha e batatas.

A salsicha desapareceu em dois segundos. Era o único objeto conhecido ali, além das batatas, e nós a atacamos vorazmente. A carne de onça veio em seguida, sumindo rapidamente do prato que agora parecia ainda mais ameaçador: um rabo de peixe escuro esquisito saindo de dentro do chantily com maçãs, o pudinzinho de meleca congelada e a lingüiça de vísceras.

A essa altura eu comecei a comer batatas e o meu amigo só dizia:

- Tá com fome? Come uma víscera.

Claro que a gente ficou com dor de tanto gargalhar, claro que isso virou piada por um bom tempo e claro que eu fui dormir rindo por conta dessa história toda. Claro também que eu tive que pedir um salsichão branco, bem grande, para matar a nossa fome, que quando chegou na mesa foi uma visão do paraíso depois do pesadelo colorido.

Tudo por quê? Por que ninguém encarou o meu joelho de porco todo rosinha e delicioso. É forte, é forte... Forte foi a visão daquele rabo de peixe medonho na espuma branca de maçãs. O resto é conversa.


Da próxima vez peço o meu joelhinho bonita, sozinha ou acompanhada. Os marmanjos de estômago fraco que se afumentem todos no meio das melecas coloridas.

10 comentários:

Senhorita L. disse...

Muito "boa essa" post.

Muito ruim esse comida!
Querida em Curitiba só confie nos bombons de morango (e de todo o resto, afinal lá eles fazem bom bom de tudo)!
E "na joelha" de porco claro!
Beijo

PS. Mto bom aqui.

Carô disse...

Juju, você deixou sobra no prato?!?!?!? (hahahahahaha)

Ju Hilal disse...

Hahahaha, que bom que você gostou, Senhorita L.
Acredita que não comi um bombonzinho em Curitiba???
Pois é, Carô, tive que deixar. Você sabe que não é do meu feitio, mas nem eu consegui encarar aquela coisa.
rs
Beijão

Gi disse...

Jú!!!!

Adorei aqui!

ADOREIIII!!!!

Vou voltar sempre!

Se me permite é claro...

Ah e morri de rir imaginado a cena.

Ecaaaaaa.

Mazinha disse...

Eu tenho medo de comida alemã... a começar do joelho e agora também do colorido!

Ju Hilal disse...

Gi,
que bom que gostou garota.
Volte sempre!
Vai ser um prazer.
Entrei no seu "caderno" e adorei.
Vou virar frequentadora.
Má,
não precisa ter medo, é só não pedir o colorido nem o peixe sinistro que se chama Hering.
O joelho é delicioso!
Beijão

Gi disse...

Hahahaha vc foi me visitar e leu o post todo tosco cheio de erros de português !!!!!
Não tinha corrigido ainda e em vez de salvar postei...
Desconsidera!
beijo Jú

Gi disse...

Verdade!!! Amei seu blog também!!!
Olha tem razão! Te conheci melhor!
Doideira mesmo essa história de blog.
E sabe que ninguém sabe muito do meu blog...
E "um canto pra contar uns contos" rsrsrsrsrsrsrsrsrs

Aproveitei hoje corrigir todos os textos ... e mudar o lay out...
hi ócio!

Beijo JÚ!!!

PS: Estou na espectativa para que Henriquieta entre em "estado interessante" mas acho que vai ter que rolar um novo namoro!!!hahahahahahahahahahahaha

Ju Hilal disse...

Gi, gostei tanto dos textos que nem reparei em erro nenhum de português.
"Estado interessante" é ótimo...hahahahaha
Se for preciso mais namoro, o Lu está super disponível.
rs
Beijão

Candy Girl disse...

Tenho trauma de restaurante alemão!
Que meda desse peixe heim Ju... rs
Acho que nem aqui nessa terra estranha tem algo tão estranho assim.
Saudade,
bjos