sexta-feira, 24 de abril de 2009

O Moço do Farol

Quando eu me mudei para essa rua, logo no primeiro dia de passeio matinal com o Lu encontrei na esquina o moço do farol.

- Qual o nome dele?

- Luke.

- Lupi...Lupi...

- Não. Lupi não, é Luke.

- Lupi...Lupi...

OK. O Luke seria Lupi por ali. Tudo bem.

Eu ri e o Lu só olhava para ele com a língua cor de presunto para fora, ofegante.

- Tá cansado Lupi? Que bonitinho.

Quase todos os dias a gente se encontrava. Tudo bem? - Tudo. - E por aqui? - Tudo. - Lupi, Lupi, tá cansado? Que bonitinho. - Ele gosta de você, olha só, dá até beijo. – É. Eu também gosto dele.

As pessoas passavam dando dinheiro, roupas, comida. Deram até um filhotinho de cachorro que acabou dentro de uma caixa de papelão, comendo metade do meu queijo minas e tomando leite semi-desnatado até a hora de ir embora com ele para a sua nova casa.

Ele agradecia, sentava no muro da igreja e esperava o tempo passar.

Um dia eu fui passear e ele não estava mais lá. Sumiu. Sumiu por meses, desapareceu da esquina e eu fiquei um bom tempo me perguntando o que teria acontecido com ele. Boa coisa não devia ser...

Pois não é que ele voltou? Apareceu de novo, mais magrinho, abatido, parecendo menor ainda do que já era. Mas inteiro. Disse que teve de fazer uma operação no pulmão, que foi difícil mas que agora já estava tudo bem e depois de muito tempo eu ouvi de novo: Lupi, Lupi, tá cansado? Que bonitinho.

Foi legal. Eu gosto de ver ele rindo ali na minha frente, brincando com o Lu. Eu nunca dei nada para ele. Dinheiro, comida, roupas, nada. Sou contra esse tipo de coisa (a não ser com velhinhos, acho uma judiação um velhinho na rua, no fim da vida, tendo de se sujeitar ao cansaço e à humilhação, mas isso já é outra história...). E não é que ele gosta de mim, mesmo assim? Fica todo feliz quando me vê chegando com o Lu. Acho que uma conversinha, um sorriso e um pouco de atenção fazem, no fim das contas, mais diferença do que as coisas que ele ganha das janelas dos carros.

6 comentários:

Carô disse...

Juju, adoro seus textos com essas pequenas histórias absolutamente encantadoras :-)!

Eloá disse...

Também gosto muito dos seus textos. Leio menos do que gostaria, porque utilizo a net menos do que gostaria, mas é um grande prazer quando o faço.
Quanto ao texto, concordo com você... as vezes um sorriso, uma conversa são muito mais importantes para aqueles que para muitos não existem, ou assim o desejam.

beijocas.

keep smiling.

disse...

Seguindo a linah dos outros comentários eu acho que vc tem um jeito muito legal de encarar as coisas cotidianas, outras pessoas no seu lugar olhariam pra tudo isso de outra forma, provavelmente menos encantadoras, sutis e doces que a sua. Por isso eu continuo voltado.
Agora sopre o carinha do farol acho que ele gosta de você pq vc confere aquela pitada de dignidade e humanidade que os trocados dos carros nunca vão pagar.

Beijos!

Gi disse...

Amei!
Poxa que bacana!!!
Muito bom conhecer gente por todos os cantos.
E se o Luke gosta dele é sinal de que é gente boa!!! rsrsrsrs
Beijo pra você e pro LuKe...

Ju Hilal disse...

Queridas,
Obrigada pelos comentários. Acho que nós todas temos esse olhar diferente, cada uma do seu jeito, especial.
Adoro a visita de vocês.
Beijos

Senhorita L. disse...

Textos incríveis.