terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Dona de Bar

Dona de bar.

Tá aí uma coisa que eu nunca achei que fosse ser. Mas essa vida é toda muito doida mesmo e quando eu vi tinha virado sócia-criadora da balada mais divertida da cidade (modéstia à parte, obviamente).

Eu estava pirando de vontade de parar de trabalhar na consultoria em Sampa, minha irmã tinha se formado cheia de gás e idéias, meu pai topou bancar a brincadeira e nós achamos o ponto comercial perfeito. Não dava para ignorar essa conjunção. Depois foi só (só...) definir tema, foco, público, objetivo, missão, imagem, estilo, cara, nome. Um trilhão de reuniões familiares. Pedreiro, arquiteta, engenheiro, pintor, marketeiro, contador, assessor de imprensa, cozinheiro, pizzaiolo, barman, copeiro, garçon, faxineira, caixa, segurança, estoquista, gerente, fornecedor. Festa, festa, festa. Gente que não acaba mais. Cada vez mais.

Graças a Deus.

Pepinos, ataques, panes, estresses. Risada, amigos, muitos amigos, novos amigos, muita lição, aprendizado, experiência.

A gente cresceu prá caraca, em todos os sentidos. O bar cresceu com a gente, virou referência, refúgio, casa, quintal. O bar criou família, uma família enorme que vive aumentando, agregando, achando por aí uma galera inacreditável.

Olha, como valeu. Hoje, seis anos depois, vêm com a gente vinte e poucos funcionários com suas famílias e filhos, ex-funcionários, parceiros, fornecedores. Um milhão de amigos prá lá de especiais, gente que a gente nunca conheceria se não fosse por aquelas paredes laranjas e verdes que já viram de tudo. A gente criou algumas lendas, lendas de comer, de beber, de contar. Histórias de morrer de rir e outras de enxugar o canto do olho. A gente juntou gente, criou casais, fez nascer gente pequeninha que ainda nem fala. A gente fez festa prá caramba, dançou em cima do balcão, dançou no palco, na pista, com banda, com DJ, com samba. A gente bebeu até cair, literalmente. A gente sofreu com os vizinhos e fez amizade com eles. A gente fez feijoada, pizzada, balada. A gente fez, faz e vai continuar fazendo por muito tempo, se Deus quiser.

A gente se juntou, virou mais família, apesar das divergências pela cor da tinta, do enfeite da porção, do cardápio, do site, da foto, de tudo. A gente criou uma coisa que não tem preço. A gente criou felicidade e fez uma outra família nascer.

Obrigada por tudo, meus queridos, por serem o que são e por fazerem tudo isso existir nesse dia-a-dia doido demais, dessa cada vez maior e mais deliciosa, família.

5 comentários:

Ellen disse...

Dona de Bar??
Seria uma coincidência??
E eu? Quem diria que de Artista Plastica passaria a ser Gerente Administrativa de um Bar!?
Mas que Bar é esse??
Ahhhhhhh....Paparazzi é óbvio!!
Mas talvez esteja aí a "grande" diferença!! Não estou nessa familia linda por acaso...alíás família essa que me recebeu de braços abertos e com muito, mas muito carinho!
Aqui posso juntar, profissionalismo, arte (que amo), amizade, respeito e acima de tudo AMOR!!
Meus queridos...só orgulho em poder fazer parte dessa família maravilhosa!!
"Dona de Bar", aprendo muito com voce.....te adoro....Beijosssss

Candy Girl disse...

Parabens pelo sucesso amiga e que venha muito mais!!!! bjos

Ju Hilal disse...

Obrigada Ellenita!!!
É uma delícia ter você sempre por perto.
Obrigada Can!!! Adorei ter vocês na festinha. Eba!!!
Beijos

Renato disse...

Eu fui na inauguração!
Mas o mais engraçado é que eu me lembro de uma conversa nossa, logo que cheguei na consultoria, na época do trabalho sobre franquias. Depois de ver o site da associação de franqueadores, com um monte de opções de negócios pra abrir, eu falei que se eu fosse abrir alguma coisa em Campinas seria um bar na região do Cambuí, pq lá, se vc saísse de casa depois das nove não encontrava lugar. E vc respondeu: "Ah não. Bar é muito complicado pra administrar." rsrsrsr...
Bjs e parabéns pelo sucesso!

Ju Hilal disse...

Oi Renato,
Eu me lembro dessa conversa, e desse trabalho. Verdade, naquela época nem passava pela minha cabeça virar dona de bar.
Para a gente ver que não dá mesmo para dizer dessa vodka não beberei...rs
Beijão