segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Tomando

Em conversa com uma amiga: “Menina, você emagreceu muito. O que você anda tomando?”

“No cú. Não literalmente...”, foi a resposta na lata, sem titubear.

Gargalhamos loucamente. O pior é que era mesmo verdade, historinha cabeluda, a dela. O melhor é que tomar naquele lugar tem de fato esse efeito sobre a silhueta de uma mulher, mais eficaz que vigilantes, inibidor de apetite de gotinha e aula de powerjump junto. Infalível. Até o meu apetite, sempre voraz e inabalável, se estremece com doses inesperadas de nocú.

Recomendo, porém, doses pequenas, espaçadas, homeopáticas. Dosagens maiores trazem efeitos colaterais absolutamente indesejáveis.

6 comentários:

Tatiana disse...

HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAAHHAHAAH

Menininha bossa-nova disse...

Tô de boa, viu?

Foi muito bom, mesmo. Mas eu aqui, também meio virada na porra, nem assim perco a fome. Que pra me fazer perder o apetite tem que ter muito culhão, como diria também a nossa amiga...

Mazinha disse...

Dependendo da pessoa nocu causa efeito colateral contrário. De tão insatisfeita em dar a bunda sem a KY algumas pessoas comem sem parar e só engordam.

Bjs

Juliana Hilal disse...

É verdade Má. Nesses casos, uma boa dose de novas opções costuma funcionar bem, revertendo o quadro depressivo e reduzindo o apetite voraz que o acompanha.
Duro é achar farmácia que venda...rs
Bjs

Serjones disse...

prefiro pesar mil toneladas.

Juliana Hilal disse...

Hehehe
Yo también, Serjones. Sem dúvida.
O problema é que algumas doses de nocú são imprevisíveis e inevitáveis.
Bjs