sexta-feira, 5 de junho de 2009

33

Ontem foi meu aniversário. 33 aninhos bem vividos e recheados de coisas para contar. Tudo bem que de algumas eu não lembro graças à minha memória de peixe mas eu vejo fotos, as pessoas me dizem e eu acredito. Quanta coisa boa.

Uma amiga de infância - infância, adolescência, vida adulta - uma amiga de sempre me ligou para dar parabéns e a conversa enveredou para uma coisa meio assim:

- Juju, quem diria... 33 anos!

- Pois é menina, 33. A gente não se imaginava com essa idade toda né?

- Nunca! Lembra quando a gente era adolescente e olhava para a mulherada de 33? Tão velhas... Eu conversava com elas e a distância era enorme...

- Hoje a molecada conversa com a gente e deve pensar a mesma coisa.

- E a gente conversa com eles de igual para igual. Engraçado como essa percepção não muda.

- Hoje nós somos as tiazonas! Hahahaha

- É... Outro dia eu fui na dermatologista e ela me receitou um creme anti-idade. Até pouco tempo atrás eu via esses cremes para maiores de 35 e ria, achando que era coisa de velho e que eu nunca ia precisar disso.

- Daqui a vinte anos nós vamos ter essa mesma conversa. Imagina só... 53. “Lembra quando a gente tinha 33, Ju?”

- O bom é que a gente vai rir. No fim a gente sempre ri, né?

- Sim. A gente ri. Por isso que eu nem ligo para as rugas e para as marcas.

- Acho que a gente vai saber envelhecer. A gente vai saber olhar para a imagem no espelho sem comparar com o que ela era antes, vai ver as marcas na pele e lembrar das histórias, não da transformação da pele.

- Acho que o aprendizado e a experiência fazem com que o que a gente vê no espelho importe cada vez menos. A perspectiva é outra, o olhar é diferente.

Passos largos os do tempo. Pensei muito nisso ontem, nessa conversa. Acho que eu vou mesmo envelhecer tranquila. Eu aceito o caminho, abraço as marcas e cultivo os seus significados. Cada fase tem definitivamente a sua graça.
Envelhecer de boa é, no fim, achar a graça do seu tempo e rir lembrando da graça do que já foi.

4 comentários:

Joao Paulo G. Leal disse...

33????

Pensei que fossem 30!

Isso explica muita coisa, como suas falhas de memória.

Bjs.
JP, 41, quase 42.

Leandro Souza disse...

Ju querida, parabens e muito sonhos pela frente.

disse...

PARABÉNS!!!!!
Feliz aniversário, muitos anos de vida, muito beijo na boca, muito amor, muitos amigos e amigas do coração, todas as coisas que o Vitor Hugo desejou aos outros, um prêmio na loteria.
33 é uma idade marcante (idade de JC) e aposto que virá recheada de coisas boas.

Ju Hilal disse...

John, a falta de memória já existia muito antes dos 30...rs
Obrigada Le e Má!
Beijão